Gênero e sexualidade na educação:

silenciamentos e resistências na formação de estudantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i27.80580

Palavras-chave:

Curso de Pedagogia. Educação. Gênero. Sexualidade.

Resumo

O presente artigo objetiva discutir como (e se) as questões de gênero e sexualidade na educação são abordadas no curso de Pedagogia da Universidade Federal do XXXXX, enquanto universidade pública brasileira, a partir da visão de estudantes do último semestre do curso. Para tanto, o estudo se debruça sobre a incidência que tais questões tiveram durante o curso, com destaque para as áreas, as disciplinas, os projetos e a abordagem, identificadas pelos estudantes. Com base nos dados coletados, a pesquisa mostra que estudantes do último semestre têm poucas e, ou, rasas discussões sobre a temática, além de representações homofóbicas nos discursos de docentes e de discentes do curso. Tal evidência ressalta a importância da atuação do corpo docente do curso em questão, e das demais licenciaturas, a fim de atentarem para a importância do trabalho pedagógico relativo a esses temas à formação docente inicial.

Biografia do Autor

Orleans Alves Parente, Universidade Federal do Ceará - UFC

Pedagogo formado pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará - UFC. Possui experiência em estudos na área de Política Educacional, estudos culturais e questões de gênero e sexualidade na educação, tendo sido bolsista de iniciação à docência na área de Formação Intercultural e Política Educacional. 

Ronaldo de Sousa Almeida, Universidade Federal do Ceará - UFC

É professor Adjunto do Departamento de Estudos Especializados da Faculdade de Educação (FACED) da Universidade Federal do Ceará (UFC). É Doutor em Filosofia e Sociologia da Educação (2015) e Mestre em Trabalho e Educação (2009), ambos pelo programa de Pós-graduação em Educação (FACED/UFC). Possui Licenciatura em Pedagogia (FACED/UFC). Possui formação em Psicanálise pelo Instituto Dédalus de Psicanálise. Coordena o Laboratório de Estudos sobre a Diversidade e Diferença na Educação (LEDDE / FACED). Desenvolve estudos nas áreas: Movimentos Sociais e Interculturalidade; Educação, Diferença e Diversidade; Educação de Jovens e Adultos.

Referências

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Secretaria de Educação. Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil 2015: as experiências de adolescentes e jovens lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em nossos ambientes educacionais. Curitiba: ABGLT, 2016.

BALIEIRO, Fernando de Figueiredo. Não se meta com meus filhos: a construção do pânico moral da criança sob ameaça. CADERNOS PAGU, p. e185306, 2018.

BEAUVOIR, Simone. Le deuxième sexe. Paris: Gallimard, 1949.

BRANDÃO, E. R; LOPES, R. F. F. “Não é competência do professor ser sexólogo”: o debate público sobre gênero e sexualidade no Plano Nacional de Educação. Civitas – Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 100-123, jan-abr. 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Combate à Discriminação. Brasil sem Homofobia: programa de combate à violência e à discriminação contra GLTB e promoção da cidadania homossexual. Brasília, DF, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo da Educação Superior 2017. Brasília, DF, 2017.
BRITZMAN, D. O que é esta coisa chamada amor: identidade homossexual, educação e currículo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 71-96, jan-jun 1996.

BOLSONARO, Jair. www.bolsonaro.com.br. Youtube. Disponível em: https://youtu.be/ONfPCxKdGT4. Acesso em: 06 mar. 2020.

CIRINO, Oscar. O desejo, os corpos e os prazeres em Michel Foucault. Mental, Barbacena, v. 5, n. 8, p. 77-89, jun. 2007.

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, XXX. Projeto Político Pedagógico do Curso de Pedagogia Diurno. XXXXX, XX, 2013. Disponível em: XXXXXX.pdf. Acesso em: 01 set. 2020.

FOUCAULT, M. Histoire de la sexualité: la volonté de savoir. Paris: Gallimard, 1976. v. 1.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de Pesquisa. Rio Grande do Sul: UFRGS, 2009.
JACÓ-VILELA, A; CURADO, J. C. Estudos de Gênero na Psicologia (1980-2016): Aproximações e Distanciamentos. PSICOLOGIA: CIÊNCIA E PROFISSÃO (ONLINE), v. 41, p. 01-16, 2021.
JUNQUEIRA, R. D. Currículo heteronormativo e cotidiano escolar homofóbico. Revista Espaço do Currículo (Online), João Pessoa, v. 2, p. 208-230, 2010.
LOURO, GUACIRA LOPES. GÊNERO, SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO: UMA PERSPECTIVA PÓS-ESTRUTURALISTA. 16 ED. PETRÓPOLIS: VOZES, 2014.
MACEDO, E. AS DEMANDAS CONSERVADORAS DO MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDO E A BASE NACIONAL CURRICULAR COMUM. EDUC. SOC., CAMPINAS, V. 38, N. 139, P. 507-524, ABR-JUN. 2017.
MEC. Caderno Escola sem Homofobia. Brasília. DF, 2009. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/bGjtqbyAxV88KSj5FGExAhHNjzPvYs2V8ZuQd3TMGj2hHeySJ6cuAr5ggvfw/escola-sem-homofobia-mec.pdf. Acesso em: 7 maio. 2021.

OLIVEIRA, S.; NEVES, M. Y.; BRITO, J.; ROTENBERG, L. Relações sociais de sexo/gênero, trabalho e saúde: contribuições de Helena Hirata. Saúde em Debate, v. 45, p. 137-153, 2021.

POMPEU, S. L. E.; SOUZA, E. M. A Discriminação Homofóbica mediante o Humor: naturalização e manutenção da heteronormatividade no contexto organizacional. ORGANIZAÇÕES & SOCIEDADE (ONLINE), v. 26, p. 645-664, 2019.

SEMIS, L. "Gênero” e “orientação sexual” têm saído dos documentos sobre Educação no Brasil. Por que isso é ruim?. Nova Escola, São Paulo, 11 abr. 2017. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/4900/os-termos-genero-e-orientacao-sexual-tem-sido-retirados-dos-documentos-oficiais-sobre-educacao-no-brasil-por-que-isso-e-ruim. Acesso em: 02 jul. 2020

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 5-22, jul/dez. 1990.

TODOS PELA EDUCAÇÃO. Anuário Brasileiro da Educação Básica. 2019. Disponível em: https://www.todospelaeducacao.org.br/_uploads/_posts/302.pdf. Acesso em: 29 maio. 2020.

WARNER, Michael. Fear of a Queer Planet: queer politics and social theory. Minneapolis/London: University of Minnesota Press, 1993.

Downloads

Publicado

2022-07-03

Como Citar

PARENTE, Orleans Alves; ALMEIDA, Ronaldo de Sousa. Gênero e sexualidade na educação: : silenciamentos e resistências na formação de estudantes. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 27, p. 141–153, 2022. DOI: 10.29148/labor.v1i27.80580. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/80580. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.