PERSONAL EDUCADOR – UMA NOVA ESTRATÉGIA DO CAPITAL DE “EDUCAÇÃO” PARA O TRABALHO

  • Lydia Maria Pinto Brito
  • Enéas Arrais Neto

Resumo

Com a reestruturação do capital e a emergência de novos modelos de gestão do trabalho, a educação corporativa passou a ser uma das pautas mais importantes das organizações. O presente ensaio teórico tem como objetivo apresentar alguns elementos para reflexão sobre os programas de educação corporativa individualizada, ou seja, os programas de: “coaching” e “mentoring”, que aliados aos times de aprendizagem e as universidades corporativas vem suprir a necessidade do capital de promover um aprendizado permanente direcionado pelas necessidades específicas de cada empresa. Tem como referencial de análise Mészáros (2005). Verifica-se que a literatura produzida pela Administração sobre o assunto em  questão contém um discurso alinhado com o argumento da necessidade de desenvolvimento de lideranças educadoras na atualidade. Indica a apropriação pela empresa, através da mão-de-obra mais nova e consequentemente mais barata, do saber do trabalhador mais antigo e experiente, detentor do saber tácito da organização, que fica vulnerável ao processo de exclusão.

Biografia do Autor

Lydia Maria Pinto Brito
Doutora em Educação pela UFC. Professora do mestrado em Administração da UNP-RN.
Enéas Arrais Neto
Doutor em Educação (doutorado Sanduíche - University of London). Pós-Doutor em Filosofia da Arte e Subjetividade pela - École des Hautes Etudes en Sciences Sociales /Paris. Professor Adjunto IV da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará – UFC. Coordenador do Laboratório de Estudos do Trabalho e Qualificação Profissional – LABOR/UFC.
Publicado
2017-03-25
Seção
Artigos