O Binômio oficina-escola na “Era” Vargas:

a disputa de duas concepções

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i25.60234

Palavras-chave:

Sistema de Formação Profissional, Rastreamento de Evidências, Conjuntura Crítica, Instituições de Formação Profissional.

Resumo

O objetivo do presente artigo é elucidar os porquês da criação de um sistema de formação profissional coordenado pelos empresários durante o regime varguista. Para isso, o método de rastreamento das evidências e suas respectivas relações causais foi usado para evidenciar os fatos e os contrafatos da gênese do SENAI. Com este, é possível também identificar as conjunturas críticas do período analisado que determinaram o caminho dependente das instituições. Por fim, dois grupos disputaram através de diferentes concepções a reforma da formação profissional sob a mesma lógica do binômio oficina-escola. Os vitoriosos foram os da corrente liberal americana sob as ideias do taylorismo.

Biografia do Autor

Remi Castioni, Universidade de Brasilia

(Bacharelado) em Ciências Econômicas pela Universidade de Caxias do Sul (1991) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2002). Atualmente é professor-pesquisador da Universidade de Brasília, classe Associado, atuando na Faculdade de Educação e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha de pesquisa em políticas públicas e gestão da educação. É membro também do Programa de Pós-Graduação em Educação - modalidade profissional. Tem experiência na área de políticas públicas e federalismo. Atua no tema da transição entre educação e trabalho, com ênfase em qualificação profissional, certificação profissional e ensino médio e ainda nos seguintes temas: educação, qualificação profissional, políticas de educação, sistema nacional de emprego, desenvolvimento regional. É Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e Diretor da Sociedade Brasileira de Educação Comparada (SBEC).

https://sites.google.com/view/gepat

Guilherme Lins de Magalhães, Instituto Federal de Brasília - IFB Campus Taguatinga

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Brasília Campus Taguatinga área de Educação Física. Possui graduação em Educação Física pela Universidade de Brasília (2006). Pós Graduação pela Universidade Gama Filho(2009). Mestrado pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília(2014). Doutorando em Educação pela Universidade de Brasília (com estágio sanduíche na cidade de Osnabrück, Alemanha.). Atuou em várias escolas particulares do DF como professor de judô e de educação física. Tem interesse nas áreas de políticas públicas de esporte e lazer, esporte educacional, educação física escolar, esporte e lazer, educação profissional, sociologia econômica, empoderamento e desenvolvimento local.

Orcid: http://orcid.org/0000-0002-0771-8045

Referências

AZEVEDO, Fernando de et al. Manifesto dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959). Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Massangana, 2010. (Coleção Educadores MEC)
BRASIL. Constituição Política do Império do Brazil (de 25 de março de 1824). Rio de Janeiro, 1824. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao24.htm>. Acesso em: 02 abr. 2020.
_____. Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 10 de novembro de 1937. Rio de Janeiro, 1937a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm>. Acesso em: 02 abr. 2020.
_____. Lei n. 378, de 13 de janeiro de 1937. Dá nova organização ao Ministério da Educação e Saúde Pública. Rio de Janeiro, 1937b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1930-1949/L0378.htm>. Acesso em: 02 abr. 2020.

_____. Decreto n. 19.492, de 12 de dezembro de 1930. Limita a entrada, no território nacional, de passageiros estrangeiros de terceira classe, dispõe sobre a localização e amparo de trabalhadores nacionais, e dá outras providências. Rio de Janeiro, 1930. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19492-16-dezembro-1930-561660-norma-pe.html>. Acesso em: 02 nov. 2019.
_____. Decreto-Lei n. 1.238, de 02 de maio de 1939. Dispõe sobre a instalação de refeitórios e a criação de cursos de aperfeiçoamento profissional para trabalhadores. Rio de Janeiro, 1939a. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-1238-2-maio-1939-349345-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 02 abr. 2020.
_______. Decreto-Lei no 4.073, de 30 de janeiro de 1942. Lei orgânica do ensino industrial. Diário Official, Rio de Janeiro, 1942. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-4073-30-janeiro-1942-414503-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 02 abr. 2020.
_____. Decreto n. 6.029, de 26 de julho de 1940. Aprova o regulamento para a instalação e funcionamento dos cursos profissionais de que cogita o art. 4º do Decreto-Lei n. 1.238, de 02 de maio de 1939. Rio de Janeiro, 1940. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1940-1949/decreto-6029-26-julho-1940-324447-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 02 abr. 2020.
_____. Decreto n. 10.009, de 16 de julho de 1942. Aprova o regimento do Serviço Nacional de Aprendizagem dos Industriários. Rio de Janeiro, 1942b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1930-1949/D10009.htm>. Acesso em: 02 abr. 2020.
BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. A construção política do Brasil. 3a edição revista e atualizada ed. São Paulo, SP, Brasil: Editora 34, 2016.
BUSEMEYER, Marius R.; TRAMPUSCH, Christine. The comparative political economy of collective skill formation. In: BUSEMEYER, Marius R.; TRAMPUSCH, Christine (Orgs.). The political economy of collective skill formation. Oxford: Oxford University Press, 2012. p. 3-38.
CAPOCCIA, Giovanni. Critical junctures and institutional change. In: MAHONEY, James; THELEN, Kathleen Ann. Adv. Comp.-Hist. Anal. Cambridge: Cambridge University Press, 2015. p. 147–179.
CAPOCCIA, Giovanni; KELEMEN, R Daniel. The study of critical junctures: Theory, narrative, and counterfactuals in historical institutionalism. World politics, v. 59, n. 3, p. 341–369, 2007.
COLLIER, Ruth Berins; COLLIER, David. Shaping the political arena. Notre Dame, Ind: University of Notre Dame Press, 2002.
CUNHA, Luiz Antônio. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. 1a. ed ed. Brasília, DF, Brasil: São Paulo, SP: FLACSO; Editora UNESP, 2000.
______. O ensino profissional na irradiação do industrialismo. [S.l.]: SciELO-Editora UNESP, 2005.
______. Professores e modelos estrangeiros para a Educação profissional brasileira (1936/1945). Interseções: Revista de Estudos Interdisciplinares, v. 14, n. 2, 2012.
DEWEY, John. Experiência e Educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971. v. 15. (Coleção Cultura, Sociedade, Educação).
FERREIRA, Fabio Vizeu. Management no Brasil em perpectiva histórica: O projeto do IDORT nas décadas de 1930 e 1940. 2008. 254 f. Tese (Doutorado em Administração) – Fundação Getulio Vargas – FGV, São Paulo, 2008.
FONSECA, Celso Suckow da. História do ensino industrial no Brasil. Rio de Janeiro: SENAI/DN/DPEA, 1986.
LEMME, Paschoal. Memórias: vida de família, formação profissional, opção política. São Paulo: Cortez/ INEP, 1988. v. 2.
LOPES, Stenio. Senai 50 anos: retrato de uma instituição brasileira. [S.l.]: Gráfica Offset Marcone, 1992.
MAGALHAES, Guilherme Lins de; CASTIONI, Remi. Educação Profissional no Brasil – expansão para quem? Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro, v. 27, n. 105, p. 732-754, 2019. Epub Feb 25, 2019. Disponível em: < https://bityli.com/EWuzx>. Acesso em: 02 abr. 2020.
MAZA, Fábio. O idealismo prático de Roberto Simonsen. Ciência, tecnologia e indústria na construção da nação. 2003. 245 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
NUNES, Clarice. A iniciação profissional do adolescente nas escolas técnicas secundárias na década de 30. In: FÓRUM EDUCACIONAL, 1980, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1980. p. 21–44.
PAOLI, Maria Celia Pinheiro Machado. Labour, Law and the State in Brazil. 1988. Ph.D. – Birkbeck (University of London), 1988.
PEDROSA, José Geraldo; SANTOS, Oldair Glatson dos. A atuação de Francisco Montojos na constituição e na intituição do novo ensino industrial brasileiro (de 1934 até 1942). Revista Educação & Tecnologia, v. 0, n. 13, 4 mar. 2015.
RABELO, Fernanda Lima. O DASP e o combate à ineficiência nos serviços públicos: a atuação de uma elite técnica na formação do funcionalismo público no Estado Novo (1937-1945). Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, v. 3, n. 6, 2011.
REIS, João José. Presença negra: conflitos e encontros. Bras. 500 Anos Povoamento. Rio de Janeiro: IBGE–Instituto Brasileiro de Geografia Estatística, 2007. p. 79–100.
ROMÃO NETTO, José Veríssimo; ASSUMPÇÃO-RODRIGUES, Marta Maria. Skill formation, cultural policies, and institutional hybridity: Bridging the gap between politics and policies at federal and state levels in Brazil. Cogent Social Sciences, v. 3, n. 1, 2017.
SCHNEIDER, Ben Ross. Hierarchical Market Economies and Varieties of Capitalism in Latin America. Journal of Latin American Studies, v. 41, n. 03, p. 553, 2009.
SCHWARTZMAN, Simon; DE MOURA CASTRO, Claudio. Ensino, formação profissional e a questão da mão de obra. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, v. 21, n. 80, p. 563–623, 2013.
_________________; BOMENY, Helena Maria Bousquet; COSTA, Vanda Maria Ribeiro. Tempos de Capanema. 2. ed., rev ed. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 2000.
SENAI-SP. De homens e máquinas Acervo Roberto Mange: inventário analítico. São Paulo: SENAI, 1991.
SOARES, Manoel Jesus Araújo. Uma nova ética do trabalho nos anos 20–Projeto Fidélis Reis. Série Documental-Relatos de Pesquisa, n. 33, p. 22–30, 1995.
SOIFER, Hillel David. The Causal Logic of Critical Junctures. Comparative Political Studies, v. 45, n. 12, p. 1572–1597, dez. 2012.
THELEN, Kathleen Ann. How institutions evolve: the political economy of skills in Germany, Britain, the United States, and Japan. Cambridge: Cambridge University Press, 2004. (Cambridge Studies in Comparative Politics).
VIDAL, Diana Gonçalves. 80 anos do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova: questões para debate. Educação e Pesquisa, v. 39, n. 3, p. 577–588, set. 2013.
VOSSIEK, Janis. Collective Skill Formation in Liberal Market Economies? Bern Berlin Bruxelles New York Oxford Warszawa Wien: Peter Lang, 2018. (Studies in vocational and continuing education, vol. 16).
WEINSTEIN, Barbara. (Re)formação da classe trabalhadora no Brasil, 1920-1964. São Paulo; Bragança Paulista: Cortez Editora ; Universidade São Francisco, CDAPH-IFAN, 2000.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

CASTIONI, Remi; MAGALHÃES, Guilherme Lins de. O Binômio oficina-escola na “Era” Vargas: : a disputa de duas concepções. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 25, p. 367–389, 2021. DOI: 10.29148/labor.v1i25.60234. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/60234. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

<< < 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.